Categorias
Blog do Enio

Wings for Life – 06/05/2018

Depois de quatro anos, voltei a participar da Wings for Life. Fiz a primeira edição em Florianópolis em 2014 e depois que o evento se mudou para Brasília não tive vontade de fazer. Este ano, mudou novamente, agora para o Rio de Janeiro. Como fazia tempo que não ia para o Rio e a Andressa também achou uma boa ideia, fizemos a inscrição. Além de ser no Rio, o evento tem a causa nobre que é ajudar na pesquisa da medula espinhal. Também foram a Ana e o Ricardo, padrins do Por Falar em Corrida.

Optamos por ficar em um hotel no Recreio dos Bandeirantes, perto da largada. Achei bem em conta e era pertinho da praia também. Como na Wings o ônibus nos traria de volta para o Recreio, foi o lugar perfeito. A parte ruim da largada no Recreio é que é longe do aeroporto e longe de quase tudo. A retirada do kit foi na Barra da Tijuca. Então, saindo do aeroporto fomos direto para a Barra e dali para o Recreio. Fizemos nossa base no Recreio e almoçamos, passeamos e jantamos lá por perto mesmo.

A largada era às 8h e estava bem quente. Minha meta inicial era fazer 21 km, no mínimo, pensando já na Meia de Floripa. Porém, o joelho ainda estava reclamando da Meia Maratona de Balneário Camboriú. Eu estava meio mancando para andar e correr. Mesmo assim, tentei fazer esse ritmo de 5:40 min/km. As dores, o calor, o clima abafado foram fatores determinantes em me impedir de atingir o objetivo.

Consegui manter um ritmo legal só até o km 8. Dali em diante, desandou. Ou melhor, andei. Fiz duas boas paradas e caminhei. Além disso, intercalava trote com caminhadas. Estava bem incomodado com as dores, mais até do que o calor. Acredito que o calor minou um pouco das energias, mas as dores ficaram comigo desde o começo. No fim, só estava esperando mesmo o carro me passar e acabar logo. Foram 15,82 km em 1:30:54, ritmo médio de 5:45 min/km.

No geral, o ritmo ficou bom e razoável, mas a quebra foi muito grande. Durante a corrida parecia que tinha sido muito pior, mas os ritmos até que ficaram bem parecidos. O único que fugiu mesmo foi o km 12 a 6:55. Além desse, o 10º km foi a 6:03. Todos os outros abaixo de 6. Só que como o objetivo era abaixo de 5:40, pareceu pior do que foi. Nesta prova, tentei testar a suplementação com doce de leite, mas um deles caiu durante o percurso e o outro não ajudou muito porque já estava quebrado.

Além das dores, fui com shorts em vez de bermuda de compressão. Deu uma leve assada nas coxas porque estava meio acima do peso. Mesmo assim, entrei no mar no domingo. Foi um momento bem dolorido. A prova é bonita, a causa é nobre, o Rio é bonito, o passeio foi ótimo, mas meu desempenho ficou aquém do que poderia. Creio que se o joelho estivesse sem problemas, teria sido menos sofrido. Mais uma Wings na conta. Vale a pena participar.

Link do Garmin: https://connect.garmin.com/modern/activity/2677909322

Categorias
Geral

Wings for Life acontece pela primeira vez no Rio de Janeiro

Depois de reunir mais de 100 mil atletas ao redor do mundo neste ano, a Wings for Life World Run, corrida que acontece simultaneamente em diferentes países, voltará ao Brasil pelo quinto ano consecutivo, só que de casa nova em 2018: o Rio de Janeiro. Confirmada para o dia 6 de maio do ano que vem, a corrida já passou por Florianópolis (SC), em sua estreia em 2014, e por Brasília (DF) nos três anos seguintes, e agora chega à cidade maravilhosa, com inscrições já abertas.

O Rio de Janeiro se juntará a outras cidades de países como Áustria, Croácia, Suiça e Estados Unidos, que largarão ao mesmo tempo, independentemente do fuso horário. Ainda sem trajeto anunciado oficialmente, a corrida passará pela zona oeste da cidade, na região das praias da Barra da Tijuca e Recreio. Com um conceito inovador, a prova é conhecida por não ter uma linha de chegada fixa e por arrecadar fundos para pesquisas da cura da lesão na medula espinhal, dando a oportunidade para que qualquer pessoa participe do evento, independentemente do nível de treinamento.

Ao contrário dos eventos tradicionais, na Wings For Life World Run é a linha de chegada que persegue os atletas. O chamado “Catcher Car” (carro perseguidor) larga 30 minutos depois dos competidores e vai aumentando a velocidade gradativamente, alcançando um por um. O último a ser ultrapassado pelo veículo é o campeão do evento.

“A proposta de transformar a vida das pessoas é o que faz dessa corrida tão especial. Ela apoia uma causa que muitas vezes é esquecida. Essa é uma causa da qual não sou apenas embaixador, mas uma pessoa que vive isso diariamente”, afirma Fernando Fernandes, embaixador da Wings for Life World Run no Brasil. “A mudança para o Rio de Janeiro é mais um passo para o evento ir conquistando o Brasil. Vamos conseguir trazer ainda mais gente para apoiar essa causa”, completa.

Neste ano, 155 mil pessoas fizeram suas inscrições e se juntaram à causa para buscar a cura de lesões na medula espinhal, arrecadando €6,8 milhões. As inscrições para a edição de 2018 já estão abertas, com preço promocional de R$120 até o dia 31 de dezembro.

Para participar, basta escolher a cidade em que deseja correr e se inscrever pelo site http://www.wingsforlifeworldrun.com/br/pt-br/. Aqueles que não puderem correr em um dos locais oficiais do evento, também poderão fazer parte da causa por meio do aplicativo da Wings For Life World Run, disponível para Android e iOS.

Categorias
PFC News

PFC News 69

wings for life[powerpress]

Como foi a Wings for Life

Categorias
PFC News

PFC News 68

disney[powerpress]

Corrida virtual da Disney e Wings for Life

Categorias
PFC News

PFC News 42

pfc news[powerpress]

Wings for Life World Run

Escute o Por Falar em Corrida

Categorias
Podcast PFC

PFC 94 – Corridas Diferentes

[powerpress]

Nesta edição, vamos deixar um pouco de lado as corridas mais tradicionais e ir atrás daquelas corridas que tem algo de diferente, que fogem das habituais provas de 5 e 10 km que acontecem nas ruas. Existem várias outras formas de corrida. E é sobre essas corridas diferentes ou até estranhas que vamos falar. Corrida sem linha de chegada, corrida atrás de um queijo, corrida de zumbis. Tem de tudo. Vamos tentar trazer neste podcast algumas dessas corridas diferentes que existem. Prepare-se para a largada das corridas mais estranhas e diferentes do Brasil e do mundo.

Participantes: Enio Augusto, Guilherme Preto e Mauricio Geronasso.

Convidado especial: Danilo Confessor, que contou como foi a Wings for Life, realizada em Brasília no dia 3 de maio.

Corridas diferentes:

  • Desafio da Butuca
  • Color Run
  • Wings for Life World Run
  • Run for Your Lives
  • Corridas de obstáculos militares
  • Maratona de Médoc
  • Corrida de carregamento de esposas
  • Beer Mile
  • Corrida de noivas
  • Corrida de rolamento de queijo
  • Sandmine Challenge
  • The New York Hot Dog Challenge
  • The Skirt Chaser
  • Nakukymppi
  • Grande Corrida de Cama Knaresborough
  • Corrida de bebês
  • Qual outra corrida diferente ou estranha você conhece?

Posts mencionados na edição:

Notícias mencionadas na edição:

Corridas mencionadas na edição:

Assista à edição 94 no YouTube:

Onde encontrar o Por Falar em Corrida:

Categorias
Podcast PFC

PFC 52 – Wings for Life

[powerpress]

Nesta edição, um especial comentando tudo sobre como a prova mais diferente dos últimos tempos: a Wings for Life World Run, que aconteceu em Florianópolis no dia 4 de maio de 2014. Participação de Nilton Generini.

Assista à edição 52 no YouTube: