Categorias
Blog do Enio

Adaptando para treinar

O treino de quinta parecia mais tranquilo comparado com os treinos anteriores. Não tinha nenhum intervalado. Seria algo mais contínuo, mais extensivo. A planilha pedia 15 minutos de aquecimento, 12 minutos moderado e 10 minutos mais forte. Soma isso tudo e já temos 37 minutos, um tempo considerável para logo de manhã.

Como estou acordando às 5 horas, tem sobrado minutos. Não seria um problema. Depois de cada intervalo, estava dizendo para fazer um descanso de 90 segundos. Em virtude do tempo, cortei essa parte e emendei tudo. O treino que seria contínuo, mas com pequenas pausas, foi um contínuo sem parar.

Para ficar mais fácil meu controle, substituí o tempo pela distância. Em vez de 15, 12 e 10 minutos, fiz 3 vezes de 2 km. Com o apito do Garmin a cada parcial ficaria melhor de controlar. De acordo com o que planejei, certamente faria os 6 km abaixo de 36 minutos. Não teria risco de me atrasar. Fiz algumas adaptações para que conseguisse treinar de forma mais direta.

Preferi fazer por distância porque não precisaria ficar olhando para o relógio para controlar o tempo. Era só prestar atenção no som do Garmin. Antes das 6 horas quase não tem movimento. O barulho dos carros não iria me atrapalhar. Iniciei o treino e os 2 primeiros km foram tranquilos. Fiz 6:32 e 6:03, bem aquecimento mesmo.

Deixei a tela com o tempo total e distância. Olhava quando apitava para ter uma noção da sensação de esforço. Até que funcionou. O km 3 ficou em 5:33 e o km 4 em 5:28, dentro do que esperava. Minha ideia era fazer os 2 primeiros em torno de 6 min/km ou abaixo e os 2 seguintes abaixo de 5:40 pelo menos.

Os dois últimos seria legal fazer em torno dos 5 min/km. Se fosse abaixo, seria lindo. Só que hoje não foi o dia. Sem saber o ritmo, apenas correndo, saiu 5:04 e 5:00. Não achei ruim. Poderia ser melhor? Sim, mas estava de acordo com a sensação do momento. Tem dias que sai, tem dias que não sai. O que achei importante foi ter conseguido manter a progressão. A sequência de treinos está mantida e acredito que renda bons resultados mais à frente.

Por Enio Augusto

Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *