ASICS Golden Run leva 4 mil pessoas às ruas do Rio de Janeiro

Rio de Janeiro, 10 de julho de 2022 – Foi em um domingo ensolarado e com temperatura agradável de cerca de 20 graus, em pleno inverno carioca, que a ASICS Golden Run deu a largada e voltou a ocupar as ruas e avenidas da Zona Sul do Rio de Janeiro após dois anos de intervalo. Com mais de 4 mil corredores entusiasmados para uma das corridas de rua mais icônicas do país, que se desafiaram com os belos cenários do Leblon, Ipanema, Copacabana e do Aterro do Flamengo como plano de fundo, a prova consagrou quatro novos vencedores em sua história: dois na tradicional meia maratona (21 km), e dois na prova de 10 km, uma das novidades da ASICS Golden Run em 2022, criada para atrair novos corredores para o circuito.

Na disputa dos 21 km masculino, o primeiro lugar ficou com Johnatas de Oliveira Cruz, com o tempo de 01:03:14. Completaram o pódio entre os homens Wendell Jeronimo de Souza (01:03:18) e Gilmar Silvestre Lopes (01:04:39). Em quarto ficou Damião Anselmo de Souza (01:06:22), e na quinta posição Jurandyr Couto Jr. (01:07:47).

“Eu, o Wendell e o Gilmar ditamos o ritmo no início. O Gilmar ficou mais para trás na passagem dos 10 km, e dali em diante eu e o Wendell puxamos a prova. Tudo foi decidido nos 200 metros finais, e consegui levar a melhor. Final de prova é isso! É esforço, superação, derramamento de lágrimas, muito sangue na canela e alguns sentimentos também. Agora é agradecer minha família, as pessoas que me abraçaram, o projeto AEC Kauê, que me dá um suporte muito grande, e a ASICS, que ofereceu toda a hospedagem para a minha família aqui no Rio de Janeiro”, se emociona Johnatas de Oliveira Cruz, campeão da meia maratona, na categoria masculina.

“A história do Johnatas é uma história de superação que valoriza o trabalhador que é atleta. Um menino que é gari, mas que abandonou agora a carreira para se dedicar apenas ao atletismo. A ASICS está fazendo toda a diferença na vida desse menino. Era uma cara que há três meses puxava 20 toneladas de caminhão de lixo, e que hoje mostrou que se tiver um pouquinho de incentivo, um pouquinho de apoio, é possível se tornar um dos maiores atletas que o nosso país tem!”, conta Fran Kauê, fundador da AEC Kauê e treinador de Johnatas.

Já entre as mulheres, a meia maratona teve como grande vencedora a corredora Amanda Aparecida de Oliveira, com o tempo de 01:17:35. Ela foi seguida por Andreia Aparecida Hessel, em 2º (01:17:56), e por Jenifer do Nascimento Silva, em 3º (01:18:29). O quarto lugar ficou com Rejane Ester Bispo da Silva (01:18:37), e o quinto com Catalina Langlois Ugarte (01:24:03).

A mineira Amanda Aparecida de Oliveira fez uma dobradinha no lugar mais alto do pódio. Venceu a última Golden Run em São Paulo, em maio, e agora no Rio de Janeiro.

“Foi muita superação para mim. Peguei uma virose nesta semana, que afetou minha garganta e o nariz, mas isso não me impediu de fazer o meu melhor. Eu trabalhei minha mente e o meu corpo. Estou muito feliz com o resultado, e só tenho a agradecer a Deus, além da minha família maravilhosa, meus apoiadores, porque sem eles não somos nada. Estou muito feliz e emocionada. Ganhei a meia maratona da ASICS Golden Run em São Paulo, e agora ganhei aqui no Rio de Janeiro também. Não tem alegria maior. É muito gratificante!”, celebra a atleta.

Na nova distância de 10 km, a atleta vitoriosa na categoria feminina foi a estreante na prova Glauciele de Oliveira de Souza, atleta do Rio de Janeiro, com o ótimo tempo de 00:38:07. O segundo lugar foi ocupado por Helen Spadari (00:38:32), seguida por Jaciane Araujo na terceira posição (38:51:52). Fabricia Ester Stedille ficou em quarto lugar (00:38:58) e em quinto, Adriana Aparecida da Silva (00:39:16). Entre os homens, o primeiro colocado do novo percurso foi Ederson Vilela Pereira, que manteve um ritmo forte desde o início da prova e também bateu a excelente marca de 00:31:55. A segunda posição ficou com Washington Luiz Chaves de Lima (00:32:23), a terceira com José Roberto Pereira de Jesus (00:33:00), a quarta posição com Ivanildo Dias de Souza (00:33:10) e a quinta com Mario Cesar de Moura (00:33:43).

“Foi muito legal poder participar da etapa do Rio pela primeira vez, estou muito feliz de estar voltando após a pandemia. Minha tática foi tentar imprimir um ritmo forte desde o início. Mesmo você sozinho, você pode ter a chance de quebrar no meio da prova e eu fui feliz consegui manter e sair campeão!” celebra Ederson Vilela, campeão da prova de 10km, na categoria masculina.

“Eu gostei muito do percurso, era uma prova de nível forte. Sou atleta desde os 11 anos de idade, agora estou com 25, consegui chegar na performance da elite. Eu vivo da corrida e sou professora de educação física!”, conta a vitoriosa dos 10km feminino, Glauciele de Oliveira de Souza.

Adriana Aparecida da Silva, que ficou em quinto lugar, destacou: “Mais uma vez estou muito feliz por completar mais uma prova da ASICS, minha patrocinadora há tantos anos. Quando entramos na pandemia eu senti muita falta dessa prova. Ela tem uma vibe muito gostosa, onde eu consigo encontrar os outros corredores que sempre têm vontade de estar com a gente, conversar e viver essa experiência. Foi uma prova divertida. Estou em transição de carreira, de atleta para treinadora, então eu entro mais com o objetivo de curtir a prova e no final ainda consigo um pódio que me deixa mais feliz ainda!”.

Em muitos trechos a prova ganhou contornos emocionantes, com muita disputa pelas primeiras posições. A Arena, também na região do Aterro do Flamengo contou com ambientação especial criada pela ASICS, além de uma área VIP, área para assessorias de corrida, além de um espaço Recovery, com massagem para os participantes. Ao longo do percurso da prova, a ASICS disponibilizou um Posto de Hidratação a cada 3 km, além de um Recovery Point no km 15 e um Ponto do Gel nos km 12 e 18. Ambulância (km 3) e UTIs móveis (kms 6 e 15) também estiveram a postos para garantir segurança e o devido suporte aos participantes.

“A prova foi muito bem organizada, rápida e disputada em percurso plano. Muitos corredores com quem eu conversei bateram seus recordes pessoais. Foi uma boa prova para quem tinha este objetivo, e realizada neste lindo cenário do Rio de Janeiro. As experiências proporcionadas pela ASICS, com massagens, brindes, alimentação, entre outros, também ficaram incríveis. Foi muito emocionante também acompanhar aqueles que tiveram o prazer de levar algumas pessoas PCD para fazer toda a prova. Estamos muito felizes com o resultado, todos estão com o sorriso no rosto. Isso é o mais importante de tudo”, finaliza Daniel Costa, diretor de produtos da ASICS, que também disputou a prova e conseguiu seu recorde pessoal nos 10 km.

 

Resultado – 21km

Masculino

1º. Johnatas de Oliveira Cruz – 01:03:14

2º. Wendell Jeronimo de Souza – 01:03:18

3º. Gilmar Silvestre Lopes – 01:04:39

4º. Damião Anselmo de Souza – 01:06:22

5º. Jurandyr Couto Jr. – 01:07:47

Feminino

1º. Amanda Aparecida de Oliveira – 01:17:35

2º. Andreia Aparecida Hessel – 01:17:56

3º. Jenifer do Nascimento Silva – 01:18:29

4º. Rejane Ester Bispo da Silva – 01:18:37

5º. Catalina Langlois Ugarte – 01:24:03

 

Resultado – 10km

Masculino

1º. Ederson Vilela Pereira – 00:31:55

2º. Washington Luiz Chaves de Lima – 00:32:23

3º. José Roberto Pereira de Jesus – 00:33:00

4º. Ivanildo Dias de Souza – 00:33:10

5º. Mario Cesar de Moura – 00:33:43

Feminino

1º. Glauciele de Oliveira de Souza – 00:38:07

2º. Helen Spadari – 00:38:32

3º. Jaciane Araujo – 00:38:51

4º. Fabricia Ester Stedille – 00:38:58

5º. Adriana Aparecida da Silva – 00:39:16

 

ASICS Lume Club

Além de ser um momento marcante para a corrida de rua no Rio de Janeiro, a Golden Run também foi o ponto final da segunda fase do projeto ASICS Lume Club, que reúne um time de corredoras amadoras para exaltar a presença e brilho das mulheres na corrida.

Lideradas pela capitã Gisa Oliveira, as corredoras Beta Ruiz, Michelle Perenyi, Van Agnelo, Dani Germano, Michele Rodrigues e Vanessa Protasio superaram seus desafios pessoais, e fecharam com chave de ouro uma jornada que destacou a união das mulheres no esporte, por meio de suas individualidades.

Ederson Vilela Pereira, vencedor da prova de 10 km (Crédito: Rogério Capela)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.