Mudança de perspectiva

Até o ano passado, quando via aqueles 40 minutos de trote na planilha quase dava um desânimo. Correr tão pouco e tão lento? Que coisa chata! Hoje foi totalmente diferente. Temos que nos adaptar à nova realidade a qual somos apresentados.

Hoje foi dia de sair para começar a fazer algo parecido com correr. Antes era um trote sem vontade durante 40 minutos. Era chato, mas necessário. As coisas mudam e hoje fiquei bem contente de poder correr por um mínimo tempo sem sentir dor.

Foi só o começo. Uma volta bem devagar. Agora é devagar mesmo. Foram pouco mais de 30 minutos, nos quais fiz 2 x (10′ andando e 5′ correndo). Ou seja, a maior parte do tempo estive caminhando e não achei ruim. Fiquei satisfeito de fazer essas duas vezes de cinco minutos sem sentir dor no pé.

O ritmo foi o de menos. Em alguns momentos, parecia que ia dor, mas a dor não veio. Talvez seja psicológico, talvez não, vai saber, né? Fiz o que a fisioterapeuta sugeriu e depois, quando cheguei em casa, botei gelo no pé. Por enquanto, nenhum sinal de dor ou desconforto.

Ela me falou que não adiantava ficar esperando um momento ideal. Teria que sair para correr e testar. Claro, de leve, mas se não corresse não ia nunca saber como estava. O primeiro teste foi promissor. Amanhã é folga e talvez quinta tenha mais um teste.

3 thoughts on “Mudança de perspectiva

  1. ehhh! Entao quem sabe um dia a mudanca de perspectiva nao venha com a musculacao? Acho isso importante: Nunca devemos dizer nunca e sempre estar abertos a novas fases da vida e com isso a novos tipos de treinos!! Ehhhh viva! Parabens!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.