Categorias
Blog do Enio

Pernas cansadas

A corrida de domingo me deixou com um leve incômodo no joelho. Sim, o mesmo joelho que não estava mais doendo, era até estranho. Diante da situação, não me preocupei muito. Era normal depois do esforço na Corrida Pela Paz. Fui no pilates e relatei o fato. Na terça-feira, fiz uns exercícios que deixaram minhas pernas bem cansadas. No entanto, o joelho ficou melhor.

Entre sentir dor muscular na perna ou dor no joelho, fico com a primeira. As pernas ficaram cansadas mesmo. Na quarta-feira senti mais e hoje ainda estava sentindo. O treino não saiu tão bom. Eram 9 vezes de 2:20 e desde o começo as pernas não estavam 100%. Nas últimas 3 repetições ficou pior, com as pernas bem exaustas e as panturrilhas reclamando também.

Pelo cansaço, até gostei do ritmo nos intervalados. Não foi nada muito rápido, mas só um saiu acima de 5 min/km. Fiz o que dava no momento, pela sensação de esforço. Hoje teve mais pilates e as pernas não foram tão exigidas. Acredito que para o treino do fim de semana tudo vai estar quase de volta ao normal. Segue a preparação para corridas que vem por aí.

Categorias
Blog do Enio

A tal da energia

No último sábado, na Maratona Beto Carrero, só tinha levado uma toalha, uma jaqueta e uma garrafa de água. Julguei ser suficiente. Até que deu tudo certo, não tive maiores problemas. A parte ruim é que enquanto a equipe não terminava a prova, não era possível adentrar na tenda com as frutas e água. Então, caso terminasse a água não tinha muito o que fazer.

A garrafa que levei era de 1,5 litros. Aguentou até o fim da corrida. Ocorre que depois de 3 voltas, já estava todo dolorido, só pensando em que condições faria a última volta. Foi quando a Jany e a Ana, que estavam ali correndo também, cada uma em uma equipe do Loucos por Corridas, ofereceram bananinhas, barrinhas e chocolate.

Primeiramente, pensei em gentilmente recusar. Não era algo realmente necessário. Só que daí me veio na cabeça o seguinte: era a última volta, já estava todo quebrado, sem vontade. Por que não comer algo e de repente ter energia para terminar a corrida? Comi 2 bananinhas, um Charge, um Chokito branco e um barra de proteína/cereal.

Tomei uns goles de água e logo o Guilherme chegou. Peguei o bastão e fui. O 1º km realmente saiu bom, mas não sei até onde era empolgação e até onde era um gás a mais. Mais provável que fosse empolgação porque o ritmo só caiu nos quilômetros seguintes. A energia não veio, nem como placebo serviu. Pelo menos não fiquei arrotando as comidas durante a última volta, mas não senti nenhum efeito prático.

Deve ser porque quando você está exausto, sem muita capacidade física, não importa o quanto de energia você coloca para dentro. Não há meios para gastar. No fim, corri 20 km no total e comi umas porcarias que não comeria em um dia normal. Meio que compensei correndo o que comi. Talvez se tivesse comida antes tivesse algum efeito. Ou continuasse a mesma coisa. Tenho quase certeza que se ficasse só na água o efeito seria muito parecido.

Categorias
Geral

Pernas cansadas

pernas cansadasEsta foi uma semana atípica. Sim, consegui fazer 4 treinos em 7 dias. O que era uma semana típica ano passado e há algumas semanas, neste mês virou totalmente anormal. Uma anormalidade que espero que se torne frequente novamente. Corri sábado, segunda, quarta e hoje. Os últimos dois treinos foram contínuos. Sem parar e sem dor. Só com efeitos nas pernas cansadas.

Há uma diferença enorme entre você parar duas semanas ou um mês porque quer, para dar um tempo nos treinos e corridas, e parar de correr porque não pode. O ritmo, o fôlego, tudo ficou pelo caminho. Esses treinos me fizeram notar isso. Os dois últimos principalmente. Na quarta já fiquei com as pernas meio pesadas e hoje foi complicado correr.

Não por dores no pé. Essas nem consegui lembrar de hoje. As dores musculares das pernas eram mais evidentes do que uma dor que talvez aparecesse (sempre espero que não, mas tenho medo). O ritmo não fluiu. Não é o mais importante, mas correr a mais de 7 min/km foi sofrido. No total, foram 39 minutos, o maior tempo correndo desde abril. Ainda vai um tempo até o corpo acostumar de novo com o ritmo de treinos.

Vou continuar com os treinos dia sim, dia não. Domingo tem mais. Temos pernas cansadas e as panturrilhas de um jeito que só estiveram no início da adaptação pisando com o médio pé. É um recomeço. Mais um. Desta vez, esperamos que as coisas fiquem indolores porque tenho planos para depois da Meia de Floripa. E tudo pode dar certo se nenhuma dor aparecer. As musculares tudo bem, essas vem e vão.

Categorias
Geral

Uma semana difícil

A semana vai chegando ao fim e ainda falta o treino de longo de sábado para realizar. Foi uma semana bem difícil. Acredito que os treinos em subida e escada tenham deixado minhas pernas mais cansadas do que o normal. Foram quatro semanas assim e o cansaço foi aumentando. Talvez tenha exagerado demais nos morros. Poderia ter feito algumas rodagens no plano para variar um pouco.

O fato é que nesta e na última semana as pernas estavam cansadas, pesadas. Não estava muito fácil para manter um ritmo mais forte. Precisava de um day off, sem fazer nada, e inventei de correr o Circuito ParaTodos domingo. 5 km em um ritmo mais forte do que a média dos meus últimos intervalados. Só contribuiu mais para o cansaço acumulado nas pernas.

Nesta semana, evitei as subidas, fiz apenas as rodagens normais no plano e o intervalado. Este, aliás, começou muito bem e a cada série o ritmo caía mais e mais. Foi perceptível demais que não tinha de onde tirar mais força. Sem subidas durante a semana, as pernas foram melhorando gradativamente. Estão bem melhores do que na sexta da semana passada ou segunda-feira.

Desta vez, o domingo será realmente de folga. Não vai ter corrida. A única coisa que vou fazer é nada. Absolutamente nada. Vamos ver como sai o treino de 16 km amanhã e talvez na semana que vem comece a incluir subidas de novo nas rodagens, mas com mais moderação. Deixar o corpo se acostumar melhor. Foi mais difícil, mas a semana de treinos está completa, inclusive com um dia a mais de corrida.