PFC

Tetracampeã paralímpica Adria Santos recebe hoje medalha em reconhecimento ao trabalho pela inclusão em Joinville

Tetracampeã paralímpica e maior atleta paralímpica do Brasil, Adria Santos recebe nesta quarta-feira, 20 de setembro, a medalha Lia Rosa da Silva Jardim dos Santos, em sessão solene no plenário da Câmara de Vereadores de Joinville, às 19h30. A homenagem ocorre em razão do 21 de setembro, Dia da Luta Nacional das Pessoas com Deficiências.

A honraria é concedida àqueles que trabalham em prol da inclusão – ou não exclusão – de pessoas com deficiências na sociedade. Em 2022, a ex-atleta inaugurou o Instituto Adria Santos, que leva a iniciação ao esporte de crianças com idade entre 6 e 12 anos, com e sem deficiência, estudantes de escolas municipais e estaduais de Joinville. São mais de 80 crianças atendidas pelo projeto, que além do atletismo, oferece ainda atendimento psicopedagógico, atendimento psicológico e reforço escolar em matemática.

Para Adria, poder fazer algo para as crianças e multiplicar tudo o que aprendeu no esporte paralímpico é um sonho que agora está realizando. “Sempre quis demonstrar a minha metodologia de treinos, aliar o esporte à cidadania e à transformação da realidade. Felizmente, encontrei o Banco BV, um parceiro que tornou este sonho realidade. Eles confiam na força do esporte como elemento para fazer a diferença na vida das pessoas e para gerar valor para a sociedade”, ressalta a medalhista paralímpica.

O Instituto Adria Santos é um dos quatro novos projetos apoiados pelo Banco BV lançados em setembro do ano passado. “Sou a primeira atleta paralímpica a fazer parte do BV Esportes e ainda a primeira a trazer um projeto desta grandeza a Joinville, em Santa Catarina. Imaginem o meu orgulho. A criação do instituto é um primeiro passo da transformação que queremos realizar”, considera.

Quem é Adria Santos

Radicada em Joinville desde 2003, Adria é mineira e começou a treinar quando tinha 13 anos, no Instituto São Rafael, em Belo Horizonte (MG), onde deu os primeiros passos na corrida. Logo chamou a atenção pelo desempenho e de outras associações. Para ter acesso a uma melhor estrutura de treinos, mudou-se para o Rio de Janeiro. Tornou-se atleta de alto rendimento e começou a disputar campeonatos maiores. Aos 18 anos, perdeu completamente a visão, o que não a impediu de seguir no esporte e de se tornar referência.

Foi medalha de ouro pela primeira vez nos Jogos Paralímpicos de Barcelona, em 1992, na prova dos 100 metros rasos. Repetiu o primeiro lugar na mesma prova em Sidney-2000 e Atenas-2004. Sua outra medalha de ouro também foi na Austrália, mas na disputa dos 200 metros. As outras oito medalhas de prata e uma de bronze completam a galeria dos Jogos Paralímpicos e fazem de Adria uma expoente do esporte no país. A atleta coleciona 73 medalhas em competições internacionais e outras 583 em provas nacionais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *